Mídia & Insight

Mudando o espaço físico do seu escritório: 7 PASSOS ESSENCIAIS

0-7

O melhor projeto é o que garante Payback eficiente e elevação da produtividade (na qualidade, acima de tudo). Está mais do que estabelecido que o espaço de trabalho eficaz é o que une a qualidade do ambiente ao dinamismo das relações e tecnologias atuais. Oferecer qualidade de um espaço ao seu colaborador é oferecer a maior ferramenta que ele precisa para atuar com alta performance e engajamento.

Tudo começa pela laje/imóvel que você irá escolher. Cuidado ao escolher o espaço sem avaliação técnica.

Área BOMA. Infrestrutura da edificação. Condições das áreas de apoio (sanitários e copas). Normas gerais de uso da infraestrutura da edificação (Docas, expedição, vestiários, horário de funcionamento do Ar Condicionado Central). Flexibilidade para investimento como benfeitoria na hora da negociação do aluguel. Etc etc etc. TUDO CONTA NA HORA DE ESCOLHER UM IMÓVEL.

É preciso avaliar os custos de investimento, mas também os custos indiretos e operacionais em que o novo (ou velho) local acarretarão. Analisar apenas custos de aluguel e condomínio sem colocar na conta todas as variáveis indiretas pode resultar em mau negócio.

Abaixo listamos um resumo de como implantar uma reforma ou um novo escritório. Assegure-se de contratar profissionais especializados e qualificados para cada uma (ou pelo pacote) das etapas abaixo.

  1. AVALIAÇÃO TÉCNICA DE IMÓVEIS: Contrate consultoria especializada de empresa de ARQUITETURA para avaliação do imóvel (condomínio e lajes) escolhido. Quando feita por equipe técnica de arquitetura e não por corretores interessados na viabilização do negócio, são avaliadas: as áreas reais que podem ser ocupada no imóvel (área BOMA x área Útil); as condições em que o imóvel está sendo entregue (além das aparências); as normas corretas para ocupação com folga para expansão dentro o planejado pelo cliente (para não acarretar em novas obras em curto período de tempo); o nível de investimento necessário; as limitações do imóvel; as limitações do condomínio; a infraestrutura de apoio necessária x existente; entre outros fatores que impactam diretamente nos custos da implantação e, principalmente, no dia-a-dia de sua operação.
  2. TEST FIT DE LAYOUT: Contrate um estudo de layout que comprove o investimento necessário. Valores estimados sem maiores detalhes não deixam claras as opções adotadas em termos de acabamento e materiais, e não fornecem visão das alternativas disponíveis (chamamos de Padrões A, B ou C de ocupação). São recomendadas ao menos três variações de test-fit de uma mesma laje ou de lajes diferentes, sempre acompanhadas de orçamento prévio de cada alternativa.
  3. NEGOCIAÇÃO EFICAZ: Realize a negociação do imóvel tendo em mãos os dados fornecidos nos itens 1 e 2. Para negociar aluguel e carências garantindo PAYBACK mais rápido é preciso ter visão clara de quais investimentos serão realizados, e, principalmente, quais benfeitorias ficam para o proprietário do imóvel.
  4. PROJETOS: O sucesso da concretização do prazo e custo planejados, depende de projetos de Arquitetura e Projetos técnicos assertivos e de qualidade. Realizar uma obra sobre projeto ruim abre margens para aditivos inesperados, retrabalhos, erros de execução e muita dor de cabeça.
  5. PLANEJAMENTO: é preciso estabelecer cronograma de concorrência das obras e de execução dos serviços. (este planejamento garante a eficácia do calculo de Payback inicial).
  6. GERENCIAMENTO DE OBRAS – CONCORRÊNCIA: Com controle especializado que proteja os interesses do cliente, esta opção, se comparada à solução TURNKEY, garante redução de custos totais de até 30% segundo dados do CREA. Além de garantir visão 360 do cliente sobre todos produtos e materiais que possui de alternativa disponíveis no mercado, para que ele faça uma escolha consciente.
  7. GERENCIAMENTO DE OBRAS – EM CAMPO: O gerenciamento em campo garante que as responsabilidades de cada execução sejam determinadas, garantindo que o cliente não receberá cobranças indevidas de aditivos ou não arcará com serviços de baixa qualidade ou que gerem despesas indiretas. É preciso ter um representante do cliente em campo, e o serviço de gerenciamento de obras (ao contrario da execução) possui este papel.

Arq. Bruna de Lucca

Diretora de Projetos na STUDIO BR ARQUITETURA

Responsável em 2018 pelos novos projetos das sedes: BANCO BMG, EXTRAFARMA, AUTOPASS, CONECTCAR, ABRAMED.

STUDIO BR ARQUITETURA E DESIGN

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Próximas publicações